HELENA  DIB. . .

SINTÉTCO AMANHECER

Projeto de marca que oferece roupas femininas, masculinas e unissex. Uma nova forma de pensar a divisão de gêneros na moda, na qual não existe obrigatoriedade de roupas especificamente femininas ou masculinas e elas podem migrar em ambos os guarda-roupas. A ideia principal é que a marca dê a liberdade do consumidor de escolher sua própria roupa independente de como ela foi pensada, ou seja: a criação não se restringe aos criadores no desenvolvimento da pela, mas se alonga à hora da compra no qual a liberdade do usar é de quem compra.

Um manifesto à liberdade de expressão sem justificativas, à liberdade de movimento e escolha sem porquês. Basta a vontade e a necessidade de usar, ser e agir.

Produzindo roupas sem uma definição específica de gênero ou tamanho que seja flexível às diversas situações do cotidiano, proporcionamos conforto, mobilidade e uma estética atual e urbana para os nossos clientes.

 

Com a visão de igualdade, prezamos muito pelas questões de sustentabilidade, tentando equilibrar o ambiental, o social e o econômico a partir de utilização de mão de obra valorizada, matérias primas de origem nacional, e firmando parceria com a empresas que contribuam com as  finalidades para os resíduos produzidos no processo de confecção da roupa e, simultaneamente, conscientizar nossos clientes da importância de preservar o meio ambiente e os direitos humanos.

1/6

ACESSÓRIO 3 EM 1

Case de Violão com mochila e pochete destacável.  Feitas em tecido holográfico e emborrachado.

sintético amanhecer

COLEÇÃO INVERNO 2016

 

O sintético amanhecer nasce a partir de inspirações no album "The Piper at the Gates of a Dawn” (O flautista nos portões do amanhecer), o primeiro da banda de rock psicodélico Pink Floyd. As músicas extremamente sintetizadas e com grandes variações contam histórias do livro “O vento nos Salgueiros”. Entre um clima de floresta e um clima urbano falam sobre gnomos, natureza, futuro interestelar, bicicletas e máquinas.

 

Uma coleção bem despojada, tem um estilo andrógenos misturado com peças que definem o corpo feminino/masculino. As cores principalmente neutras (preto, branco e cinza) permitem que cada peça de roupa, individualmente, possa encaixar em diversas situações. O tom de verde água azulado atrelado ao pêssego trazem o espírito do psicodélico/progressivo dos anos 60/70. O roxo acinzentado trás uma sobriedade que faz o link entre os coloridos e o neutro. As únicas três cores juntas são um reflexo das cores de um amanhecer distorcidas.

 

A grande inovação da coleção vem na brincadeira de texturas: os já conhecidos moletom, couro sintético e malha canelada brincam com tecidos de atoalhados, holográfico e tule, trazendo um ar sportwear urbano.